OFICINA DE BLUES

Oficinas de Blues
Oficinas de Blues

 

A quem se destina

Idade: dos 14 aos 114 anos

Músicos e estudantes de música já iniciados (independente do nível de aprendizado), que desejam se aprofundar ou iniciar nesse gênero musical que influenciou (direta ou indiretamente) as bandas e artistas mais conhecidos desde os anos 60 até os atuais.

Todos os instrumentos (cordas, sopro, percussão, teclado, etc). 

 

Como funciona

Encontros semanais e em grupo, com 2 horas de duração. 

Os encontros tem a coordenação e participação do professor Antonio Veras e Fernanda Veras.

Em cada encontro, é apresentado um tema ou conceito e imediatamente colocado em prática. 

Conceitos que serão abordados no decorrer dos encontros: Shuffle (célula rítmica do Blues), Blues de 12 e 8 compassos, breques, clichês melódicos (frases/liks), levadas (grooves), como usar a pentatônica maior/menor e a chamada pentablues, as blue notes, conceitos de microafinações (bend/slide/vibrato), como soar bluesy em qualquer gênero musical, variações/arranjos de base para não soar repetitivo, um pouquinho de histórias e “causos” do blues, e principalmente improvisação, MUITA improvisação e dinâmica.

Como material complementar, será enviado também via whatsapp links de discos marcantes, shows, documentários e demais mídias que ajudem a ter uma visão básica do Blues.

Durante os encontros, iremos formando nosso repertório de estudos.

 

Onde 

Nauapixana: espaço cultural e coletivo de artes, localizado em Moema (São Paulo-SP).

 

Quando

Esses encontros serão realizados aos sábados e domingos, entre 10h e 19h. 
Para garantir sua vaga em um grupo, dia e horário específico, entre em contato.

  

Regras e orientações para um bom e produtivo convívio em grupo

Recomendamos que, no caminho para a prática, prepare-se mentalmente e emocionalmente para partilhar as próxima horas com os outros músicos com uma postura respeitosa, positiva, colaborativa, de incentivo e apoio mútuos.

As práticas/ensaios e aulas ocorrem num espaço coletivo de diversos outros artistas, sendo assim não é permitido circular por áreas fora de nosso espaço, tão pouco manipular qualquer equipamento (por simples que lhe pareça) ou objeto que não pertençam a nós.

Aqui todos que gostem de música são bem vindos, sem discriminação de qualquer espécie e sem julgamentos.

Gosto musical é pessoal e deve ser respeitado: não existe música ruim, existem as músicas que gostamos ou não gostamos. Para que nosso gosto particular seja respeitado, devemos respeitar o gosto do outro.

Não é uma competição: aqui ninguém é melhor que ninguém, estamos todos aprendendo juntos uns com os outros e as práticas servem justamente para que possamos errar à vontade sem críticas ou pressão, até conseguirmos evoluir naquele ponto. Cada um tem seu tempo de aprendizagem e absorção, isso é pessoal e deve ser respeitado por todos.

Quando um fala todos ouvem, sem conversas paralelas e sem som de instrumentos.

Tudo que for falado, comentado durante a prática deve ser compartilhado com todos. Assuntos particulares devem ser tratados fora do ambiente da prática e de forma reservada.

Assuntos como política, religião e demais temas não pertinentes à música, artes e emoções não são permitidos.

Aqui ninguém pode fazer nenhum tipo de mal ao outro, tão pouco a si mesmo.

Nosso objetivo é que todos, no encerramento da aula/prática, saiam se sentindo melhores consigo mesmos e com mais conhecimentos do que quando entraram. Isso vale para cada um de nossos encontros.